Compreender a Calvície

Diariamente, cada pessoa perde entre 50 a 100 fios de cabelo. Trata-se de uma quantidade insignificante, quando comparada com os cerca de 100 mil cabelos existentes no couro cabeludo. Mas se começa a haver uma grande quantidade de cabelo na almofada ou na escova, podemos estar perante o primeiro sinal de calvície.

A calvície afeta tanto homens como mulheres, embora os indivíduos do sexo masculino sejam mais propensos. Escalas cientificamente validadas ajudam a determinar o nível de calvície, em ambos os sexos.

 

A Escala de Norwood

A Escala de Norwood classifica as etapas da alopécia androgénica masculina em sete níveis.

Ludwig Homem

Escala de Norwood para a calvície masculina

A alopécia feminina também está classificada, desta feita, pelo médico Ludwig, que considerou três etapas.

Ludwig Mulher

Escala Ludwig para a calvície feminina

 

Causas

A calvície pode ter diferentes causas:

– fatores genéticos;

– problemas de tiroide;

– tratamentos oncológicos;

– infeções cutâneas;

– stress físico e/ou emocional;

– traumatismos;

– alimentação pobre em proteínas, etc.

Algumas formas de calvície são reversíveis. Quando a calvície não é reversível de forma natural, o transplante capilar é a solução para muitos casos.

 

Calvície masculina

Mais de 95% dos casos de enfraquecimento e queda de cabelo nos homens devem-se à Alopecia Androgénica, também conhecida por calvície genética masculina.

Esta condição hereditária surge quando os folículos capilares no topo e na fronte da cabeça se tornam sensíveis à dihidrotestosterona (DHT).

A DHT é o andrógeno mais potente nos homens e nas mulheres. Com o avançar da idade, o cabelo fica mais fino, deteriora-se e, em muitos casos, os folículos ficam mesmo inativos.

Os folículos capilares que são resistentes à DHT situam-se por norma nas zonas laterais e na nuca. É nesta zona que o ARTAS® procura os folículos de melhor qualidade, que são posteriormente transplantados para a zona calva.

 

Impacto psicológico

A calvície pode ter um efeito psicológico muito negativo, ao afetar a autoestima, a autoimagem e a confiança em si próprio. Em alguns casos pode ainda potenciar o desenvolvimento de depressão ou outras perturbações do foro psicológico.

As consequências para a qualidade de vida são, nestes casos, inevitáveis e podem tornar-se graves, dado o risco de contaminação da vida conjugal, familiar, social e até profissional.

Nas pessoas cuja profissão exige o contacto com o público ou exposição mediática a perda acentuada e definitiva de cabelo tem um impacto sério evidente.