ARTAS® VS outros Métodos

A técnica FUE (Follicular Unit Extraction) com recurso ao ARTAS® apresenta vantagens em relação às de mais por não deixar cicatrizes na área dadora (nuca e zonas laterais), ser mais rápida, praticamente indolor e não ter limitações pós-operatório. Conheça as principais diferenças entre as várias técnicas de transplante capilar atualmente em uso.

 

Artas VS Técnicas Manuais

 

  ARTAS® TÉCNICA MANUAL (FUE)
Modo de funcionamento Sistema robotizado assistido pelo clínico Sistema operado manualmente
Método de extração Operação robotizada guiada por imagem digital, permitindo uma precisão da excisão inalcançável pelas técnicas manuais Ferramenta de colheita manual
Interface de apoio ao profissional Imagem digital de alta resolução, que proporciona visão detalhada da área dadora. Permite controlo de parâmetros como: espaço entre folículos, profundidade da dissecação, ângulo de colheita Inexistente
Mapeamento digital Análise 3D em tempo real, o que permite mapeamento e cálculo precisos das características dos folículos capilares Inexistente
Análise da Área Dadora Algoritmos inteligentes permitem extrair apenas os melhores folículos para transplante, assegurando:- resultados mais consistentes;- uniformidade da área dadora. Inexistente
     

 

VANTAGENS DO ARTAS® VS STRIP

 

  ARTAS® STRIP
Método Cada folículo é extraído com precisão robótica. Não requer pontos É extraída uma faixa de escalpe da nuca do paciente. A ferida é depois cosida com pontos
Procedimento pós-operatório É prescrito ibuprofeno para alívio de desconforto ligeiro Muitos pacientes requerem medicação para alívio de desconforto significativo. Outras situações frequentes: sensação de entorpecimento e de couro cabeludo repuxado, dores persistentes
Área Dadora Mantém a aparência natural. Não fica com cicatriz linear Deixa uma cicatriz linear visível
Tempo de recuperação Alguns dias Algumas semana